Sancionada lei que multa em R$ 1mil quem usa linha cortante em pipa e R$ 5mil para quem comercializa

05 Jun

Foi sancionada a Lei Complementar 388/20, que aumenta em cinco vezes a multa para pessoas flagradas com linhas cortantes em pipa e vendedores do material, proposta pelo vereador André Salineiro. Em caso de apreensão de linhas de cerol, chilena ou outros materiais desse tipo a multa agora é de R$ 1 mil para pessoas e de R$ 5 mil para estabelecimentos comerciais.

Para o vereador, em alguns casos, somente o endurecimento das penas contribui para mudar a realidade. “As linhas matam e ferem gravemente pessoas e animais, cortam fios de rede elétrica e internet, dando prejuízo para moradores e empresas. Isso tem que acabar e acredito que a nova lei vai contribuir para isso, claro, somada a campanhas de conscientização. As pessoas precisam entender que se pode matar alguém não é divertido. Pipa sim, linhas cortantes não”, argumentou Salineiro.

O vereador lembra que das vítimas de acidentes com cerol no Brasil, 25% acabam morrendo e 50% ficam feridas gravemente. Em Campo Grande, operação recente da Guarda Civil Metropolitana (GCM), abordou 589 pessoas, em um único fim de semana. Três adultos foram levados para a delegacia, 192 materiais cortantes e 124 pipas foram recolhidos.

Recentemente, foi sancionada também a Lei 6.460 que criou a “Semana Municipal de Prevenção de Acidentes com Pipas em Campo Grande”, na segunda semana do mês de agosto. Serão desenvolvidas ações nas escolas e bairros da cidade, conforme a lei, proposta pela vereadora Enfermeira Cida Amaral.

Caroline Maldonado

Foto: Izaías Medeiros Assessoria Câmara Municipal de Campo Grande

#ENQUETE

O que pode melhorar a Segurança Pública?

GABINETE

ITINERANTE