Quem “vive” e quem “sobrevive” com esse valor?

17 Mar

O Brasil, país que figura entre os maiores produtores de petróleo no mundo, faz do preço da gasolina um problema crônico para a população, tanto para quem tem carro, como para quem utiliza ônibus, quanto para quem compra tomates. Toda vez que o combustível tem um aumento no preço, as pessoas sabem que alimentos e tudo mais vão encarecer, afinal, incide o valor do transporte.

Nessa novela, também sofrem os empresários brasileiros que atuam na revenda ao consumidor final. Muitas vezes, os donos de postos de combustíveis são vistos como “aqueles que lucram apesar dos reajustes”, mas a verdade é que se esforçam dia a dia para continuar atuando em um mercado de margem de lucro muito baixa, com reajustes vertiginosos nos preços definidos pela Petrobras e nos impostos. Pois bem, chegamos ao ponto crucial e ao que quase ninguém discute: os impostos.

O fato é que isso tem a ver com a política de impostos do Brasil, que pouco se fala em reformar, diferentemente da discussão da reforma da previdência, por exemplo. Honestamente, o Brasil precisa de uma reforma geral em sua legislação, mas por que não se discute com a mesma veemência uma reforma tributária? É porque neste país o Poder Público sobrevive à custa dos impostos. Em contrapartida, a carga tributária é justamente o que faz milhões de famílias deixarem de “viver” para “sobreviver”.

Nos Estados Unidos, a exemplo, o governo cobra menos imposto sobre os combustíveis justamente para estimular o desenvolvimento.  Nosso país segue na contramão. A tributação severa sobre o consumo possui uma consequência séria e direta: povo com menos capacidade de aquisição compra menos, o empresariado sofre com a baixa no mercado e, em seguida, sofre a indústria, o que ocasiona desaceleração da economia, falta de emprego e ainda menos poder aquisitivo para as classes B e C, fazendo girar indefinidamente a roda da ineficiência. Assim sendo, nossa tributação estrangula o desenvolvimento, mas, ainda assim, não se vê a maioria dos legisladores federais declarando apoio à reforma tributária.

André Salineiro é policial federal e vereador por Campo Grande. É autor do livro “Colapso Econômico – A Política de Impostos no Brasil” e outros títulos na área de Segurança Pública.

#ENQUETE

O que pode melhorar a Segurança Pública?

GABINETE

ITINERANTE